A Paranormalidade Como Propulsora Da Reconstrução Positiva Em Uma História De Vida

A Paranormalidade Como Propulsora Da Reconstrução Positiva Em Uma História De Vida

Maria Célia B. da Fonseca[1]

 

Identificação: “Meu nome é Medo”, M. S. M., sexo feminino, 46 anos, cor branca, casada (18 anos), natural do interior de Minas Gerais, “espiritualista” descendente de portugueses (mãe) espanhóis (pai), 3º Grau incompleto.

Queixa / Objetivos: Libertar-se dos medos de tudo; futuro, morte, mãe, escuro, elevador, altura, doença, pânico. Ser livre.

 

TABELA FAMILIAR

D.Parkson

Avó Materna e Irmãos –  H    M     H   H   H    H    H………M   M    M     H    H………..23

U  U 72a U  U   U    U    U         U   U

Mãe e Irmãos –  M          5 anos    M

UCâncer de Intestino

 

Pai e Irmãos –   H       H       H        M          H

U                 U           V 70 a Câncer de Pulmão

Irmãos –       Ab               Ab                     M

 

Esposo –     Ab             Ab             H           M

 

Filhos –      H               M

17 anos         14 anos

 

Dados Básicos da História de M.S.M.

  • Avó Materna barganhada por seis cabeças de gado para casar, marido agressivo, surrava a avó, tinha amante. Separação: avó fugiu levou a caçula e deixou a mãe com avô mulherengo que se casou 04 vezes. Mãe morou com ele até 18 anos, depois com a avó. Refere que a mãe nunca quis ter filhos. Pai rompeu com a família para casar com a mãe, “mal falada”.
  • Gravidez: gestada após 02 abortos provocados, entende ser resultado de tentativa de aborto mal sucedido. Dificuldades financeiras.
  • Parto em hospital, normal, difícil. “Filho sem querer, parir é horrível” (expressão da mãe).
  • Logo após o nascimento, pais separaram, foi entregue a avó para ser cuidada. Amamentada pela vizinha. Depois os pais se reconciliaram, mas não assumiram criar M.S.M, que morou com a avó até seu falecimento, nove meses antes de seu casamento. Único período em que morou com a mãe.
  • Infância: Avó em seu 3º casamento sempre, outras crianças (parentes) morando lá também. M.S.M, dormia na sala.

Criança “catarrenta, doentinha, mirrada”, otite crônica, perda auditiva, à esquerda míope, estrábica, óculos “fundo de garrafa”. (“TADINHA”).

Na 2ª infância, saúde melhorou, Escola era um refugio, aconchego, comida, alegria.

Marco: abuso sexual pelo “vodrasto” desde pequena até menstruar. “ODIOSO” ainda que única forma de atenção. PAVOR DA NOITE, do escuro. Terrorismo vedado: “se contar avó lhe põe na rua, sua mãe não lhe quer”.

Neste período problemas de pele: furúnculos, “perebas”.

Mãe provia, sempre trabalhou. Visitas para levar dinheiro, bater, castigar.

Criada sem limites, criou os seus observando as amigas.

 

Adolescência:  1ª menstruação, 11 anos, normal.

16 anos, 1º namorado (3 anos), grande paixão. Ele rico, maduro, seguro. S.M.S, pobre, infantil, insegura. Acatada pela família dele. Melhora auto-estima, 1ª relação sexual, muito bom.

20 anos termino, reencontro, gravidez, aborto “exigido pelo pai “você não vai se vulgarizar”, quando o pai da criança soube, condenou-a, rompeu “elo” definitivamente. Deixou de freqüentar o centro espírita por “vergonha” e “culpa”.

Depois toca a vida, sem perspectiva, trabalha e estuda.

 

Vida adulta: Dificuldades financeiras interrompe estudos.

23 anos conheceu esposo, grande incentivador, companheiro, pai, irmão, provedor. Construção de um amor, vontade ser mãe.

2ª gestação, 1º filho, hemorróidas muito severa desde o 5º mês, motivo para indicação de cesariana. Pós parto piora das hemorróidas, abscesso de mama, cirurgias. Muito sofrimento.

3ª gestação, 2º filho, não planejado, medo de reviver o sofrimento. Depois tranqüilo inclusive o parto.

Objetivos de Vida: Encaminhar os filhos, estar ao lado do esposo.

 

CONSIDERAÇÕES:

  • Viver como se fosse órfã de mãe viva;
  • Sempre teve um personagem para cada fase da vida; (Paranormalidade)
  • Sempre sonhou e imaginou uma família, bonita, junta, unida;
  • Sente-se “como expresidiaria, saiu do presídio, mas continua arrastando a bola de ferro, presa à canela”.
  • Padrões, “Parto é Horrível”, “pobre quando ri muito em um dia, chora no outro”.

 

Dificuldades Identificadas: 

  • Sentimento de rejeição;
  • Sensação de culpa;
  • Inseguranças, Medos;
  • Ansiedade;
  • Paranormalidade mal canalizada (absorve e vivencia sofrimento alheio: dor, drama, doença.);

Análise

 

A rejeição de gravidez e de sexo, bem como a tentativa de aborto, registram no subconsciente de M.S.M., ameaça a sobrevivência, sentimentos de rejeição, ansiedade, sensação de culpa e muito medo. Medo da morte, do futuro, de elevador, altura, doenças, inseguranças, ansiedade e pânico.

A rejeição à maternidade por parte da mãe e o medo de nascer, ser rejeitada e descartada por parte criança, levam a um parto difícil, o que intensifica o sentimento de culpa e fortalece o padrão sofrimento, dor, não merecimento, castigo. Desenvolve então a PARANORMALIDADE, como estratégia de sobrevivência.

O Subconsciente assim programado pelos registros advindos da hereditariedade, das vivencias e experiências da gestação e do nascimento passa a executar tais programações gerando os fatos da história de vida de M.S.M.

Embora tenha uma família constituída, bonita, unida, como sonhou (programou desde a infância) tem medo de vir a perder o esposo, os filhos e de passar necessidade.

 

Instrumentos e Técnicas Utilizadas no Processo de Orientação Parapsicológica  

  • Atendimento Individual
  • Leitura das obras: Liberte Seu Poder Extra, O Jogo e a Estrutura das Personalidades, Paranormalidade Um Potencial Mental.
  • CD’S – G II , GV, SV2, SV3, SV4, SV5
  • Repetição de formulações criativas
  • Estabelecimentos de objetos e metas para 01, 05, 10 e mais anos

Numero de Sessões: 10 (dez), no período de 07 meses.

 

Evolução e Principais Fatos Lembrados e Trabalhados em Hipnose e Regressão

 

1ª e 2ª Sessões: Resumo da fundamentação cientifica, funcionamento da mente, consciente e subconsciente. Dimensões da estruturação subconsciente, que depois de programado move sentimentos, emoções, corpo e realidade. Levantamento de dados, análise correlacionando fatos e as respectivas causas Subconscientes das situações relatadas e /ou detectdas.

 

3ª Sessão: Visitou a mãe na clinica onde mora, sensação de estar diante de um “MONSTRO”, voltou incomodada com sensação de “ABANDONO”.

Técnica: Percebe-se no útero da mãe, escuro, insegurança, muito medo, sem ter para onde sair, nem onde se apegar, sem espaço.

Compreensão: embasada nas rejeições de gravidez, sexo, tentativa de aborto. Lá normal sentir-se diante de um monstro. Hoje capaz de entender a história da mãe, foi gestada em  ambiente de agressões, abandonada pela avó quando bem pequena e impulsionada a livrar os possíveis filhos de tais sofrimentos.

Jamais rejeitou a filha e sim agiu impulsionada pelos fantasmas imaginários de medos de sofrer, fazer sofrer, passar fome. Na época medo imaginário de M.S.M era maior. Venceu, encontrou quem cuidasse, amamentasse e esta aqui, viva normal….

Exercício de harmonização com a mãe.

Tarefa: ouvir CD SV2, GV, Pensamento Positivo, (Sobre Gestação), exercícios de Telepatia transmitindo carinho à mãe.

 

4ª Sessão: mais harmonizada, noticias de que a mãe está mais meiga, receptiva, tranqüila.

Mudança de padrão de sonho: via-se numa tapera, suja, bagunçada, horrível. Último sonho, a mesma casa, limpa, enfeitada com toalhinhas de crochê, gostosa…

Ainda insegura em relação à doença, grave e morte.

Técnica: Bebê gritando de dor de ouvido, mãe joga no sofá “QUE MORRA” nisto para de chorar. Avó aparece com medo de se aproximar, vodrasto a pega no colo e vai buscar a solução.

Compreensão: medo do pior… proteção foi maior… mãe agiu com desespero, mecanicamente, avó teve medo que estivesse morta, vodrasto a salvou. Nada de grave… M.S.M venceu, todos venceram. Harmonização com avó, mãe e vodrasto inclusive em relação aos abusos.

 

5ªSessão: refere nunca ter estado tão bem emocionalmente. Objetivo desta sessão libertar-se do medo de incomodar, dificuldade em dizer não.

Técnica:  4/5 anos, arruma-se para ir ver televisão na vizinha, que chegou na porta se posicionou e disse “cadê  o ingresso”. M.S.M sente-se humilhada, volta para a casa da avó com raiva, tristesa e vergonha.

Compreensão: intenção da vizinha era preservar sua privacidade e até mesmo fazer uma brincadeira, jamais humilhar uma criança… Relacionado também com rejeição de Vida Intra-Uterina, novos argumentos para a compreensão ( M esperada H).

 

6ª Sessão: pensamentos obsessivos, medo de que aconteça algo grave com os filhos e não possa se perdoar.

Compreensão consciente do aborto, pais queriam proteger M.S.M (“mal falada”), e preservar o nome da família. Relacionado “culpa” pelo aborto, com culpa de existir e medo de perder os filhos (castigo).

Orientado CD: SV2. SV3, SV4, SV5. Pensamento positivo “xingar” positivamente. Encaminhada á psiquiatria para avaliação dos pensamentos obsessivos.

 

7ª Sessão: tem se sentido mais segura, mais seletiva nas amizades, dormindo bem.

Foi à psiquiatra está em uso de estabilizador do humor, dose mínima.

Objetivo: Libertar-se do mal estar em relação ao falecimento do pai. ‘Fui Covarde” tive medo de enfrentar a fase terminal dele (câncer de pulmão).

Refere sentir muita “vergonha” de não ter cuidado dele.

Técnicas:   5/6 anos em uma visita na casa de uma  amiga da avó, brincando com suas filhas , achou um anel e guardou no seu bolso. Era ouro, avó foi devolve-lo passou constrangimento e M.S.M sentiu muita vergonha, semelhante a que sente do pai, por não ter cuidado dele. “Culpa”.

Compreensão: criança, não entendia valores, achou o anel bonitinho… Na doença do pai, não queria, vê-lo sofrer….

 

8ª Sessão: visitou a mãe: prazeroso, bom convívio afetivo, conseguiu abraça-la com carinho. Sentindo-se mais solta descontraída. Idéias claras pensando em desenvolver alguma atividade profissional. Reanalise e avaliação das dificuldades trabalhadas e evoluções alcançadas. No final das compreensões, M.S.M afirma, mudei de nome, meu nome agora é VICTÓRIA.

 

9ª Sessão: sentindo-se muito bem com novo nome e nova forma de perceber a realidade, buscando orientação no SEBRAI para organizar uma empresa.

Exercício de relaxamento utilizando o Poder da Imaginação para criar uma nova realidade. Orientado definir objetivos e metas para, 01, 05, 10 e mais anos.

 

10ª Sessão: estabeleceu novos objetivos. Saudades da mãe, vontade de vê-la, estar com ela, expressar carinhos.

Lembra-se do pai com carinho, com uma sensação muito boa. Abrindo uma mini – empresa, acredita que de agora em diante, dá conta de si e de conduzir a vida. Acredita também que os filhos já podem se virar e se cuidarem. Agora já tem nome e sobrenomes: Victória, Coragem, Ousadia. Alta com orientações e lições de casa.

 

Resultados: Objetivos Alcançados:

Ø  Livre dos Medos, Inseguranças e Culpas;

Ø  Harmonização com os pais;

Ø  Compreensão do Vodrasto;

Ø  Desabrochou potencialidades;

Ø  Saiu dos limites do lar;

Ø  Tornando-se empresária.

A história de vida de M.S.M foi reconstruída utilizando positivamente sua Paranormalidade.

[1] Parapsicóloga Clínica do SISTEMA GRISA– inscrição SINPASC 050 –  Apresentou sua Produção Científica no  I CONPAC E IX SINPAC dias 30/31 do 10 e 01/11 de 2009 em Fpolis-SC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.