Sistema Grisa e a Análise da Sexualidade pelas Tabelas Familiares

Texto elaborado pelo prof. Dr. Pedro AntonioGrisa
em 08 de outubro de 2007. 
             A relação existente entre Sexualidade e as manifestações de Fenômenos Paranormais acompanha toda ahistória da parapsicologia.
 
            A Parapsicologia IndependenteSISTEMA GRISA – como a ciência que estuda o ser humano com a precisão matemáticada engenharia – constata e elabora uma nova forma e uma nova fórmula paraanalisar a formação, o desenvolvimento e a estrutura da personalidade, bemcomo, identificar diferentes problemáticas e conjuntos de talentos,relacionados com diferentes áreas da vida humana. Inclusive, em relação àsexualidade.
 
            A Prole de um casal constitui-senuma tabela familiar. Exemplo:
 
            Rosa e Ronaldo tiveram 5-cincofilhos: Rita – Renato – Rogério – Rosalina – Ricardo.

 
Essa é a tabela simples, a partir da qual, pode-se realizar uma análise básica de cada um dos5-cinco filhos, identificando-se diferentes características de personalidade decada um deles, também características relativas à afetividade e à sexualidade.
 
            Os fundamentos para esta primeiraanálise podem ser encontrados emO Jogo e a Estrutura das Personalidades, deminha autoria, uma das obras basilares do SISTEMA GRISA.
 
            Essa Tabela Familiar, além daseqüência dos filhos, masculinos e femininos, pode ser enriquecida pelasdiferenças de idade entre um filho e outro. Por exemplo: se houver umadiferença de 4-quatro anos entre Rita e Renato e de apenas 2-dois anos entre osdemais filhos, essa diferença permite dois questionamentos ou hipóteses, a fimde identificar porque quatro anos entre a primeira filha mulher e o primeirofilho homem:
 
            – Teria havido um ou dois abortos,nesse espaço?
 
            – Rita teria nascido de parto muitodifícil? O que também justificaria o nascimento de Renato e Rogério, comofrutos de uma mãe sofrida, cujo subconsciente – sempre guiado para obter omelhor resultado: a Felicidade e a Vida – raciocinaria mecanicamente daseguinte forma: “É melhor conceber e gerar filhos homens, que sofrem menos doque nós, pobres mulheres”.
 
            Essa tabela permitiria, enriquecidapor novos dados, como os relativos à civilização da abundância e da carência,de etnias, de vida intra-uterina e outros, identificar diferentes causas debloqueios afetivos-sexuais e de fertilidade.
 
            A análise dessa Tabela FamiliarSimples pode ter sua análise aprofundada também pela análise de duas tabelasverticais, correspondentes aos irmãos da mãe e aos irmãos do pai; podendo-se,ainda, somar mais uma tabela vertical, constituída pelos irmãos da avó materna.
 
            Cabe lembrar que a seqüência detabelas, especialmente as verticais, a importância da mãe e da avó sempreprevalecem sobre a análise das tabelas relativas ao pai ou avô; pois, os sereshumanos, como os animais, sempre são gerados no útero materno…
Dados e Tabelas Especiais
 
            • O filho único de um casal – mesmosem os pais terem tido outros filhos fora do casamento ou abortos –constitui-se numa Tabela Familiar que permite, pela ausência de irmãos, realizar diferentes análises relativas àsua sexualidade, tanto no comportamento afetivo-sexual quanto nas questõesrelativas à Sobrevivência da Espécie.
 
Por exemplo: se for filhaúnica, constata-se a existência de imagem muito negativa de homem, presente nosubconsciente da mãe, especialmente como sócio inadequado para contribuir nacriação e educação dos filhos.
 
A filha única poderá, por isso,ter muita dificuldade de constituir um casamento duradouro, bem como deconceber e gerar filhos…
 
Outros fatores – características típicas do filho único, identificadaspelo SISTEMA GRISA e diferentes correntes de análise – podem ampliar eintensificar essas problemáticas, como o da superproteção e o que promove o vedetismo.
 
 • Sempre que um aborto antecede outro filho, na Tabela Familiar, essefilho ou filha que sobrevive, virá marcado por diferentes dificuldades,inclusive ou especialmente, nos diferentes aspectos relativos à sexualidade.
 
Cabe observar que, em relação a filhos que sobrevivem – especialmentequando gerados após um aborto, natimorto ou a morte de um filho – constituem-seem fatos que sempre tendem a desencadear bloqueios, perturbações, conflitos eoutros fatores negativos e prejudiciais em relação aos diferentes aspectos oucampos da sexualidade.
 
Quero observar uma questão extremamente interessante, relativa a um filhoque é gerado após a morte de uma criança, integrante da mesma tabela familiar:
 
→ A criança que faleceu, particularmente se tinha 1-um ano ou mais devida, sempre será idealizada pela mãe e até mesmo por outros familiares. Sempreserá lembrada como a criança perfeita, tendo a mãe ou outros familiares atendência de desqualificarem o filho que nasce após esse irmão, que está livredo corpo físico…
 
→ Muitas vezes esse filho – gerado após a morte do corpo físico de umirmão ou irmã – terá forte tendência a desenvolver uma característicainteressante: Viver entre a Terra e o Céu.Especialmente se a família for católica ou evangélica.
 
Lembre sempre da pergunta mágica: ComoFunciona?
 
Como, pois, funcionaria a cabeça da gestante, ou seja, as reaçõesautomáticas do seu subconsciente? Terá a tendência de: ora, lembrar do corpinhoque repousa na sepultura fria do cemitério; ora, deixar a imaginação voar parao céu onde mora a alma, junto a Deus e feliz.
 
A pessoa gerada em tais circunstâncias terá a tendência de vivenciarsentimentos e reações emocionais e comportamentais opostos e até mesmocontraditórios: num momento, vive a tristeza profunda e fria que lembra asepultura; noutro, sonha com a vida perfeita, semelhante ao do paraíso…
 
Essas tendências opostas podem também interferir diretamente norelacionamento afetivo sexual…
 
 Considerações Complementares
 
Essa análise, relativa às Tabelas Familiares, em relação à sexualidade podeser aprofundada e detalhada, numa volumosa e nova obra do SISTEMA GRISA.
 
Neste IX Simpósio de Parapsicologia Clínica do SISTEMA GRISA, que temcomo foco de estudos a Sexualidade, para ilustrar a importância, o valor e apraticidade no uso das Tabelas Familiares, será sorteada uma pessoa dentre asque gostariam e aceitam – no ambiente do simpósio – dar a sua contribuição paraos demais participantes se beneficiarem com uma análise gratuita.
 
 Referências:
 
DENNY, Johnson. AArvore Familiar: Editora Ground.
GRISA, Pedro A.O Jogo e a Estruturadas Personalidades. 7ª ed. Florianópolis: Edipappi, 2006.
GRISA, Pedro A. O Poder da Fé &A Paranormalidade. 9ª ed. Florianópolis: Edipappi, 2007.
GRISA, Pedro A. Paranormalidade: UmPotencial Mental. 6ªed. Florianópolis: Edipappi, 2004.
GRISA, Pedro A. Compreendendo a Homossexualidade. Florianópolis:Edipappi, 2006.
GRISA, Pedro A. Interrogação Vital. 2ªed. Florianópolis:Edipappi, 2007.
HEIDERSCHEIDT, Ilséte. Pais e Filhos, Filhos e Pais.Florianópolis: Edipappi, 1998.
MALTZ, Maxuell. Liberte SuaPersonalidade. 3ª ed. São Paulo: Editora Summus, 1981.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.